Cortina, o véu da casa parte II

Dando sequência ao post da semana passada, vamos continuar falando sobre as cortinas, que trazem textura e aconchego aos ambientes das nossas casas.

Hoje começaremos pelas persianas, que são formadas por lâminas presas por um cordão, que giram vertical ou horizontalmente. As mais comuns são de alumínio, tecido e madeira. São boas para diminuir a luminosidade do ambiente e dar privacidade. Seu fechamento pode ser standart (com a cordinha para puxar e travar), monocontrole (com uma haste continua, que se gira para fechar) ou motorizado, ideal para quando a persiana é muito alta. 


A cortina romana é vertical e estruturada com varetas, que permitem que se feche em camadas. Por ser estruturada, ela pode ser feita dos mais variados tecidos, desde blecautes ou tecidos mais finos que permitem a passagem da luz. É uma opção atemporal, você não vai cansar dela. A romana pode ser de diferentes tipos: line (maior vedação contra a luz – desce rente à parede) ou cascata (sobe em “gomos”, mas deixa passar parte da luz), e ainda duplex para esses dois tipos, que se abre entre as faixas de tecido que compõem o painel aumentando a passagem de luz. Os comandos podem ser monocontrole ou standart, sendo o primeiro mais resistente e prático, especialmente para vãos maiores.



A cortina rolô possui um mecanismo especial que se enrola para o fechamento. É muito utilizado para escurecimento total do ambiente, funciona como blecaute e pode ficar atrás de um tecido mais leve. Também há opções de tecido que barram parte da luz mas com transparência suficiente para possibilitar vista para o exterior. 


cortina celular  é confeccionada com tecido-papel em forma de colméias. Abre e fecha verticalmente, formando uma espécie de sanfona. É ideal para a proteção contra os raios solares e pode ser feita com blecaute ou tecidos translúcidos. A melhor opção para quem procura por conforto térmico e acústico.



A cortina em painel é feita com painéis de lona ou sarja. Esses painéis são presos a um trilho que corre horizontalmente para sua abertura. É usada em ambientes em que portas e janelas correm para o lado, já que um dos painéis dela estará sempre fechado. Cuidado ao lavar os painéis, eles costumam encolher bastante. Na hora da compra certifique-se que a barra é grande o suficiente para ajustá-la quando o tecido encolher.


Agora que você já sabe (quase) tudo sobre cortinas, precisa saber alguns cuidados básicos para que esses lindos tecidos durem ainda mais.
Se sua janela pega muito sol evite tecidos muito escuros e sempre coloque forro. Isso porque a incidência direta da luz do sol faz com que eles desbotem rapidamente. 
Não esqueça a barra! Muitos tecidos com composição em algodão encolhem durante a lavagem, portanto garanta a barra da cortina com folga para ser reajustada caso seja necessário. Se calça jeans pescando já é feio, imagine esse visual na sua sala inteira!
E não tenha medo de ousar. Assim como os tapetes, as cortinas podem ser usadas para dar aquele up no seu ambiente. Tire proveito e invista em listras e estampas que vão dar muita personalidade ao seu espaço.





Meninas, espero ter ajudado vocês na hora de escolher a cortina certa para cada ambiente. Essa querida peça que muitas vezes passa despercebida, é funcional e também decorativa. 



Então entregue-se e boas compras! E qualquer dúvida é só me chamar: coisinhasdenoiva.gi@gmail.com.

Beijos
Gi

















Comentários

Postar um comentário

Deixe aqui seu recadinho!
Teremos o maior prazer em lê-lo!
Beijo

Postagens mais visitadas