Tempero em casa

A nova capital foi planejada e idealizada para proporcionar um estilo de vida único. Mais de 50 anos atrás, Brasília “brota” do meio do cerrado incorporando ideias revolucionárias, modernas e utópicas.
A elaboração do Relatório do Plano Piloto foi importante para prever as condições de desenvolvimento e crescimento da cidade, onde foram adotadas quatro escalas: monumental, gregária, residencial e bucólica. Essas últimas eram voltadas para o indivíduo, de forma que os espaços deveriam comportar diferentes atividades consideradas fundamentais, como escolas, mercados, igrejas, comércio, e, pasmem, em cada quadra deveria haver uma faixa de terreno reservada para floricultura, horta e pomar.

Depois de entrar nesse clima da cidade ideal, voltamos aos desafios da cidade real. A especulação imobiliária também chegou aqui com força total. Assim como em grandes centros urbanos, os lotes são aproveitados ao máximo, as áreas livres estão reduzidas ao mínimo e nós, simples mortais, ou moramos na área resguardada do “avião, os nos conformamos com espaços cada vez menores, escuros e sem ventilação.
Eu sei que pensar assim parece um tanto deprimente, mas não é. Na verdade li uma vez que é sempre em momentos de crise que o ser humano aumenta sua criatividade e concebe ótimas ideias.
Então, para quem não abre mão dos seus “espaços-verdes”, eis algumas sugestões:

Pode ser no cantinho da varanda ou até mesmo na janela. Os temperos dão sabor à comida, e também à sua casa.

Cada espacinho pode ser aproveitado para o cultivo. Você não tem mais desculpas, já pode ter um pouquinho da natureza dentro de casa, e o melhor, sem agrotóxicos e sempre à mão, na hora que precisar.

Criar um espaço natural sempre traz “bons fluidos” para dentro de casa. Não se esqueça que as plantas precisam de cuidados e água! Então se você optou pela parede viva, cuidado na hora de regar. Tire os vasos da parede e espere que a água escorra totalmente antes de colocá-la de volta. Para estruturas em madeira é importante pensar na impermeabilização do material, e por isso os vasinhos de plástico ou barro são importantes. Se for colocada diretamente na madeira, a umidade da terra vai apodrecer o material.

Materiais como porcelana, alumínio e vidro são ideais para uso interno, pois o material não danifica com o excesso de água. No entanto é importante dosar a quantidade, pois se esses materiais não tiverem aquele furinho embaixo para drenar o excesso de água, a planta também pode morrer.

E seguindo a “onda verde”, porque não reciclar ou criar novos usos para coisas que não utiliza mais? Veja essa sapateira, virou uma horta vertical.
Vai montar a sua mini-horta? Envie as fotos para a gente! E se precisar de mais ideias, escreva para mim: coisinhasdenoiva.gi@gmail.com
Você também pode sugerir temas para os próximos posts.
Até semana que vem. Beijos.
Gi.
PS: O post acima não é patrocinado, sendo seu conteúdo de responsabilidade da autora.

Comentários

Postar um comentário

Deixe aqui seu recadinho!
Teremos o maior prazer em lê-lo!
Beijo

Postagens mais visitadas